Arquivos mensais: junho 2015

Câmeras Leica têm preços de cair o queixo, e as fotos também

Dessa vez a Nanotech Câmeras faz uma homenagem a uma das câmeras mais aclamadas entre os fotógrafos profissionais: a Leica. Confeccionadas à mão desde 1915 até os dias de hoje, as câmeras Leica são feitas com um padrão de qualidade sem precedentes. São verdadeiras obras de arte.

Aproveitamos o momento para parabenizar os brasileiros envolvidos na campanha “100”, que comemora um século de Leica e as fotos mais importantes já feitas, vencedora da categoria Film no Grand Prix do glamuroso Cannes Lions. Veja o filme na íntegra:

Os smartphones de hoje podem tirar fotos lindas e nítidas, então comprar uma câmera comum pode parecer desperdício de dinheiro. Agora imagine comprar um kit Leica completo, incluindo a câmera digital, corpo e lentes, que pode chegar a impressionantes $20,000 dólares!

Ridículo? Talvez. Os fotógrafos mais leais à marca Leica juram pelo artesanato envolvido na sua produção, qualidade das lentes e ausência de ruídos e assobios, que esse tipo de câmera não é para qualquer um.

20130808_TOOLKIT-slide-5EJ7-superJumbo

A questão é saber se seu amor pela fotografia – e provavelmente a sua habilidade – é profundo o suficiente para justificar o gasto extra. “Para a maioria das pessoas, uma Leica é a câmera errada. Mas se você é dedicado à arte , então as imagens que ela é capaz de fazer compensam,” afirma o fotógrafo Cristopher Michel.

A Leica, com sede na Alemanha, lanços sua primeira câmera digital ponta de linha em 2006, a M8, mas a empresa está no mercado de câmeras há um século. Na década de 1950, a Leica ascendeu à fama quando introduziu as câmeras com o Sistema-M de encaixe de baioneta para lentes.

Apesar de a transição para o digital tenha sido um tanto quanto complicada, a Leica agora vende quase uma dúzia de variedades de câmeras digitais, incluindo alguns modelos mais básicos tipo point-and-shoots. Os modelos mais cobiçados, ainda são os da série com o Sistema-M e rangefinder, que foi introduzido em 1932 e possibilita ao fotógrafo medir a distancia entre a câmera e o objeto fotografado para, assim, obter fotos com o foco mais acurado.

Ao contrário das câmeras DSLR´s, nas quais o fotógrafo vê o objeto através de um jogo de espelhos, as rangefinders oferecem imagens mais nítidas pois a lente fica mais próxima do sensor da câmera. O obturador em uma rangefinder é incrivelmente estável e silencioso – diferente da maioria das câmeras DSLR, nas quais o espelho se move para cima e para baixo no momento em que a foto é feita – então um pouco de vibração é adicionado às fotos quando o botão é pressionado.

Assim, focar com uma Leica rangefinder não é tão fácil quanto tirar uma foto com seu iPhone. Primeiro: o sistema de focagem completamente manual. O visor ocular de uma Leica mostrasse duas versões da imagem que está diante de você. O truque está em alinhar essas duas imagens sobrepondo-as sobre a área a ser focada.

A Leica oferece vários corpos de câmeras digitais. A Leica M-E é o modelo com Sistema-M que tem o preço mais baixo. Ela tem um sensor de 18-megapixel e pode fotografar com ISO 160-2500, o ISO mede a sensibilidade da luz. Fotos feitas durante o dia ficam impecavelmente claras, por outro lado, quando feitas em lugares com pouca luz, as imagens ficarão menos claras e granuladas caso não haja flash.

Outra câmera, a Leica M tem um sensor CMOS de 24-megapixel, o que possibilita a ela fazer fotos em situações de pouca luz enquanto consegue manter uma imagem nítida. A Leica M é a única com Sistema-M que tem a capacidade de fazer vídeos.

Outro modelo, a Leica M Monocromática, uma câmera de 18-megapixel que faz apenas fotos em preto e branco. Algumas pessoas podem se perguntar, por que alguém compraria uma câmera que não consegue reproduzir fotos coloridas, mas a Leica investiu anos em pesquisas e desenvolvimento para otimizar o sensor da câmera para que seja a mais sutil da fotografia P&B.

Os resultados da Leica M Monocromática são espantosos. As fotos produzidas tem tonalidade e contraste tão lindos a ponto de parecer que foram feitas com um filme preto e branco real. A M Monocromática também pode fotografar com ISo máximo de 10.000, que permite fazer fotografias em extremas de baixa luz.

Tenha em mente que quando você comprar um corpo Leica, você ainda vai precisar das lentes. É nesse momento, segundo os fotógrafos dizem, que a Leica se supera.

“A Leica faz as lentes como devem ser feitas, com metal e vidro, enquanto que todos os outros estão fazendo lentes de plástico, feitas para serem jogadas fora em um par de anos,” afirma Ken Rockwell, fotógrafo e expert em câmeras e lentes. “As lentes Leica são muito especiais pois são menores, mais rápidas e nítidas”.

Rockwell observa que as lentes Leica, que são montadas à mão na Alemanha, não têm as características que foram adicionadas às DSLR modernas, como os motores, e  é uma empresa que usa vidros da mais alta qualidade.

“O vidro da Leica”, diz Michel, citado acima, “adiciona aquela qualidade etérea às imagens, o que nenhuma outra DSLR é capaz de fazer.”

O controle proporcionado pelas Leicas manuais faz muitos fotógrafos pensarem que o excesso de botões e funções na maioria das câmeras modernas fazem com que as pessoas tirem fotos piores na maioria das vezes.

O preço das lentes Leica variam, assim como suas características. Existem lentes mais tradicionais como a Leica Summarit-M 50mm com abertura de diafragma começando em f/2.5 até a Noctilux-M 50mm com abertura de diafragma começando com incríveis f/0.95! Essa é considerada uma das melhores lentes do mundo para fotografar com pouca luz, ela tem uma abertura tão grande que quase pode fotografar na escuridão.

A empresa dá nome às suas lentes com base na quantidade de luz que cada uma delas permite chegar ao sensor, como a Summilux, Summicron, Summarit ou a Noctilux.

jane-bown-henri-cartier-bresson-19571

 No geral as câmeras Leica têm muita importância para seus donos. Henri Cartier-Bresson, considerado por muitos como o pai do fotojornalismo, disse em sua biografia, “The Mind´s Eye“, que quando ele descobriu a câmera Leica no início de sua carreira, “ela se tornou uma extensão do meu olho, e eu nunca mais me separei dela desde que a encontrei.”

Mas esteja avisado: apesar de as câmeras Leica serem resistentes, se ela quebrar, esteja preparado para esperar alguns meses para que ela volte a funcionar porque o local da empresa para reparos fica apenas na Alemanha. Se comprar uma Leica vai demorar algum tempo até que se acostume com seu estilo rangefinder e manual. A Leica está tão em alta que os modelos mais recentes chegam a deixar seus compradores numa fila de espera de 3 meses para obtê-los!

Análise Nikon D5500

No post dessa semana, no blog Nanotech Cameras, vamos dar uma olhada na D5500, o último lançamento da Nikon no campo das câmeras de alto nível.

Nikon-D5500-hero-1200-80

Primeiro vamos ver alguns pontos chave das suas configurações. Ela tem o mesmo sensor APS-C de 24.2MP que sua antecessora, a D5300. Da mesma forma ela não tem o filtro OLPF, usado para evitar o efeito moiré e cores falsas. Sem o OLPF a Nikon D5500 pode capturar imagens de incrível qualidade, particularmente em arquivos RAW de alta qualidade.

Ela também tem o mesmo processador EXPEED 4 com um LCD móvel de 3.2 polegadas e 1.037.000 pontos, a diferença é que a tela é agora sensível ao toque. Tem wi-fi embutido e é capaz de gravar videos em full HD. Na versão padrão acompanha kit de lente 18-55mm.

VEJA MAIS: Nikon D3300 vs D3200 vs D3100 – qual você deve escolher?

Os modos de se fotografar foram simplificados na D5500 e resumidos a oito modos diferentes de exposição, incluindo os modos padrões P/S/A/M, junto com o Automático e o modo efeitos. Atrás da câmera os botões são bem similares aos da D5300 e tudo está ao alcance fácil dos dedões. O bom disso é que você poderá usar a tela móvel com mais facilidade, a tela articulada é bem segura e você também pode dobrá-la para dentro para protegê-la.

O fato de a tela ser sensível ao toque significa que ela tem uma série de aplicações práticas. Por exemplo, você pode mudar qualquer configuração tocando no botão “i”. Se você está usando o visor ocular para fotografar, você não poderá mudar as configurações pelo touch screen, o que é bom já que você não vai querer trocar as configurações acidentalmente com seu nariz.

Outra novidade é que, através de um botão perto da lente, você consegue controlar o ISO ou programá-lo para desempenhar outras funções.

Quando você estiver fotografando pelo Live View você pode usa o touch screen para ajustar o foco tocando no ponto que da tela de seu interesse. Você também pode disparar a câmera pelo touch screen, é muita facilidade!

VEJA MAIS: Nikon D7000 ou D7100?

Conectar a Nikon D5500 ao seu smartphone através do Wi-fi é super fácil. No menu principal da câmera vá até a seção de Wi-fi e habilite a função (Enable). No seu celular, escolha a opção Nikon nas opções do Wi-fi e uma vez que a conexão for estabelecia carregue a “Nikon Mobile Utility” e pronto! Agora você pode tirar fotos com a D5500 pelo celular ou ver as fotos já clicadas.

A D5500 é uma grande câmera, com a qualidade de imagem tão boa quanto da D5300, ela tem o adicional do touch screen, sendo mais fácil ainda de usar que sua antecessora.

VEJA MAIS: Dicas, dicas e mais dicas!